A dor da morte e sua regeneração

O luto costuma permanecer no consciente e no inconsciente de pessoas que possuem algum vínculo com a aquela que faleceu, isto significa que pode variar bastante o grau de pesar, assim como sua duração. A vida passa por constantes transformações, sendo estas agentes diretos do amadurecimento da personalidade e componentes essenciais à valorização dos bons momentos. Somos o reflexo de fatores culturais que são inerentes ao nosso convívio familiar e ao tipo de educação que recebemos.

A percepção da morte como sendo comum a todos os seres vivos algumas vezes não é completamente aceita e isso pode gerar conflitos pessoais no convívio familiar e profissional. A perda real de alguém próximo acarreta um sofrimento terrível e o luto pode vir acompanhado de depressão.

Normalmente o luto está fixado em cerca de 9 meses, porém sua duração é variável. É a partir deste período que deve ser observado se a pessoa precisa ou não de acompanhamento para desinvestir a culpa, a raiva e a depressão.

Para esses casos, são aconselhados aos familiares que se aja com cautela e que o indivíduo seja encaminhado para especialistas a fim de que o reconhecimento da morte não leve ao esquecimento e sim a uma resolução pacífica do processo de luto e sua regeneração.